Tema A: Perspetivas teóricas sobre a utilização das TIC

Sala 1 (artigos longos):

192 – Matemática e Geogebra: uma alternativa para extrapolar o currículo prescrito para o lápis e papel [Anna Luisa Castro]

Resumo: O artigo que se apresenta é um recorte de uma pesquisa de doutorado que busca subsidiar a passagem do currículo da era lápis e papel para o currículo da era digital e discute como o professor de matemática tem mobilizado a utilização das tecnologias nos processos de ensino e de aprendizagem. Parte do pressuposto que as tecnologias não são a panaceia da educação, mas que se bem usadas podem favorecer uma aprendizagem mais significativa. Com o objetivo de averiguar os enfrentamentos dos professores em relação ao uso das tecnologias, adotou-se um estudo de caso, dentro da abordagem qualitativa, junto aos professores de Matemática da rede estadual de São Paulo, Brasil, em parceria com o Observatório da Educação e a diretoria regional de Registro-SP. Os professores envolvidos reconheceram várias potencialidades das tecnologias, mas revelaram que usá-las de modo integrado ainda é um desafio a ser superado. Diante de uma primeira análise dos dados coletados percebeu-se que um currículo digital prescrito faz parte dos anseios dos professores que participaram desse estudo. Desse modo, sem desconsiderar a importância da formação continuada do professor de matemática, esse estudo passa a focalizar o alcance e as possibilidades de um currículo prescrito dentro dessa concepção da era digital.

Palavras-chave: GeoGebra, TDIC, Tecnologias, Formação de Professores, Currículo.

154 – O Uso do Geogebra na exploração do comprimento de arcos de circunferências: atividade investigativa [Laís Aparecida Romanello, Patricia Fasseira Andrade]

Resumo: Neste trabalho temos como propósito mostrar como foi feita a elaboração e aplicação de uma atividade que surgiu da proposta de trabalho de uma disciplina oferecida no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, campus de Rio Claro. Nele apresentamos todo o caminho percorrido, desde o momento de decidir o conteúdo que seria abordado, qual seria o melhor modo de desenvolver tais conceitos juntamente com um software, até chegar ao produto final, a atividade. Essa atividade foi então aplicada para os próprios alunos da disciplina, de modo a apresentarem suas percepções, críticas e sugestões sobre nossa proposta. Como a disciplina envolvia assuntos sobre a utilização da informática no ensino de Matemática, tivemos a oportunidade de discutir sobre alguns aspectos teóricos dessa utilização em sala de aula e isso refletiu também em nosso trabalho final.

Palavras-chave: Tecnologias Digitais, software, matemática, ensino de matemática, geometria.

257 – A utilização do software Geogebra no ensino e aprendizagem de cálculo diferencial e integral [Marluci Cristina Galindo, Matheus Couto de Oliveira]

Resumo: Este trabalho consiste na análise de atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas no Instituto Federal do Paraná sobre o uso da tecnologia como recurso didático na disciplina Cálculo Diferencial e Integral. As atividades foram desenvolvidas com os alunos do segundo ano do curso de Licenciatura em Química, baseadas nas quatro etapas da engenharia didática. Utilizou-se o software GeoGebra na construção de duas atividades que propiciaram aos alunos uma melhor compreensão sobre os conceitos referentes a noções intuitivas de Limites e Integrais.

Palavras-chave: Ensino e aprendizagem, cálculo diferencial e integral, GeoGebra.

173 – Cálculo do volume de objetos utilizando o software Winplot: Um desafio para professores de Matemática [Matheus Couto de Oliveira, Ivanete Fátima Blauth, Suely Scherer]

Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar uma prática realizada com professores de Matemática em uma oficina de formação, e analisar a construção de conhecimentos do grupo durante a atividade. Essa prática realizou-se em um único momento e teve a participação de quatro professores em uma atividade em que estudaram o volume de alguns objetos reais. O objetivo era possibilitar que os professores utilizassem estratégias relacionadas a conteúdos explorados na disciplina de Cálculo Diferencial e Integral, com o uso do software Winplot. A atividade foi analisada com base no ciclo de ações proposto por Valente e proporcionou aos professores a compreensão da evolução de alguns tópicos da matemática e da importância do cálculo de integrais definidas.

Palavras-chave: Professores de Matemática, volume, Winplot, Cálculo, ciclo de ações.

Sala 2 (artigos curtos):

245 – Ensino de tópicos da Nanociência e Nanotecnologia: uma proposta de pesquisa no sistema educacional brasileiro [Mauri Luís Tomkelski, Solange Binotto Fagan, Greice Scremin]

Resumo: O artigo apresenta alguns aspectos relativos às temáticas da Nanociência e da Nanotecnologia, partindo de uma reflexão da importância dos conhecimentos científicos no contexto social atual e suas implicações imediatas na área educacional brasileira. Através de uma breve descrição histórica do tema, bem como algumas implicações sociais relevantes, discute-se os aspectos relacionados ao ensino de Nanociência na Educação Básica1 e Superior no Brasil, destacando algumas perspectivas sobre as potencialidades e limitações em torno da temática. Para finalizar o texto apresenta os delineamentos da pesquisa de mestrado junto ao Programa de Pós-Gradução em Ensino de Ciências e Matemática do Centro Universitário Franciscano – UNIFRA, da cidade de Santa Maria, RS, no Brasil, que está sendo desenvolvida com professores das áreas de Ciências da Natureza (Biologia, Física e Química) e Matemática sobre a inserção desses tópicos de Nanociências e Nanotecnologia nas práticas do professor em sala de aula.

Palavras-chave: Nanociências, Nanotecnologia, Ensino de Ciências.

85 – Montando uma revista eletrônica: uma experiência de flipped classroom para a prática de gêneros textuais [Cíntia Marinho, Fernanda Cassiola]

Resumo: O objetivo deste trabalho centra-se em explorar as proposições do conceito de ensino híbrido para sugerir uma estratégia de ensino-aprendizagem com uso de tecnologia, visando desenvolver a prática de escrita de textos narrativos, descritivos e dissertativos, comuns nos gêneros textuais do meio jornalístico. Tal temática faz parte dos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (MEC, 2000), mais especificamente da área de Língua Portuguesa no eixo de Linguagens, códigos e suas tecnologias. A sugestão consiste em propor a inversão da sala de aula, reservando os encontros presenciais para a discussão de montagem de uma revista eletrônica e transferindo, para tarefa de casa, a transmissão dos conceitos que regem a estrutura dos gêneros textuais a serem utilizados na composição da publicação, tais como editorial, artigo de opinião, reportagem, notícia, entrevista, entre outros.

Palavras-chave: ensino híbrido, sala de aula invertida, gêneros textuais, ensino de Língua Portuguesa, tecnologias na educação, redação.

135 – Construindo Blogs, Compartilhando Experiências [Jane Petry da Rosa, Risolete Maria Hellmann]

Resumo: Dentre as várias possibilidades de uso das tecnologias da informação em sala de aula, a confecção de um blog destaca-se como uma atividade que pode propiciar o desenvolvimento de um grande número de habilidades. A ideia do projeto “Construindo blogs, compartilhando experiências” é fazer com que os estudantes apropriem-se da tecnologia e não a utilizem apenas de maneira instrumental, como suporte para os conteúdos trabalhando em sala de aula. Para tanto, os docentes e discentes do Curso Técnico em Eventos do Instituto Federal de Santa Catarina, estão desenvolvendo um blog no qual os estudantes do referido curso, elegem eventos que acontecem na cidade de Florianópolis e acompanham as etapas de planejamento, organização e execução, utilizando entrevistas, visitas, fotografias, filmagens, observações e anotações em diários de campo. Ao final do processo, os estudantes também realizam uma análise do evento visitado, utilizando como base os autores da área. Todo o conteúdo é editado com auxílio dos professores e compartilhado, neste primeiro momento, utilizando na rede interna da escola (intranet). Os alunos e servidores da instituição têm acesso às postagens e podem interagir com os mesmos através de um espaço para perguntas e respostas. Tem-se notado o aprimoramento na construção dos textos e no uso da língua culta e um maior domínio no uso das ferramentas da internet e na utilização de softwares. A aproximação com o mercado de eventos também gerou uma melhor compreensão das técnicas utilizadas na concepção e execução de um evento.

Palavras-chave: Tecnologia, blog, eventos, aprendizagem.

17 – New technologies for the classroom’s degree in Biology from the University of Brasilia, Brazil. [Alice Melo Ribeiro, Elizabeth Maria Tala de Souza, Marcos Antonio Silva-Ferraz, Nara Maria Pimental, Fernando Fortes de Valencia]

Abstract: The advancement of information and communication technologies (ICTs) has influenced, without exception, all forms of education, whether in schools, educational institutes or universities. While the expansion of the Distance Learning (DL), Brazil now considered a State policy for national democratization of education, it is observed that the ICT has also promoted changes in teaching practices of classroom education. The University of Brasilia (UNB) has two modes of education for various degree courses: classroom and distance. The Institute of Biological Sciences, UNB offers classroom and distance learning for the degree course and classroom teaching for the baccalaureate. When it comes to classroom courses, these are far and without a full contemporary identity that meets the demands of the “new student profile,” inserted in the information society. This project arose from the concern of some teachers working in two modes with this subject and this reality and aims to use the technological tools developed primarily for the distance mode in classroom teaching. .The Project proposes a strategy to increase the participation of the student in the classroom classroom, individually and anonymously. The project is being implemented / initial and preliminary results show a wide range of teaching acceptance

Tema B: Projetos e práticas de integração curricular

Sala 3 (artigos longos):

42 – Percepções dos estudantes do ensino regular sobre o uso de blogs em sala de aula [Márcia de Freitas Vieira, Rodrigo Bravin]

Resumo: O presente trabalho teve como objetivo investigar as percepções dos estudantes do 2º ano do ensino médio, Técnico em Meio Ambiente, de uma escola em Viana, Espírito Santo – ES, sobre a utilização de blogs como ferramenta pedagógica durante o último trimestre de 2014 na disciplina de sociologia. Utilizou-se como delineamento metodológico a pesquisa-ação, sendo sua abordagem quanti-qualitativa. Foram aplicados questionários semiestruturados contendo perguntas abertas e fechadas com todos os sujeitos da pesquisa (23 alunos). Para conhecer melhor as percepções dos estudantes foram realizadas seis entrevistas em profundidade com alunos sorteados previamente. Pode-se concluir com a prática pedagógica que os blogs estimularam a autonomia dos estudantes e o desenvolvimento de competências como a autoria, a socialização e a colaboração possibilitando uma integração entre escola e outros espaços da sociedade. Porém entendemos que essa experiência precisa ser repetida para haver um maior aprofundamento da avaliação. Ao mesmo tempo, muitas escolas e profissionais da educação precisam repensar suas práticas pedagógicas reconhecendo que os estudantes chegam à escola trazendo diversos conhecimentos que precisam ser incorporados aos conteúdos trabalhados nas aulas e que as Tecnologias da Informação e Comunicação estarão cada vez mais presentes na vida das pessoas.

Palavras-chave: Educação, Tecnologias da Informação e Comunicação, Blog, Escola colaborativa.

49 – Projeto MANEELE – Os alunos e a leitura digital [José Lagarto, Hermínia Marques]

Resumo: A tecnologia digital alargou as fronteiras da leitura fazendo emergir novos espaços de acesso ao conhecimento. Com a passagem do papel ao ecrã, os paradigmas de leitura sofrem uma (r)evolução. O projeto ManEEle, implementado em duas turmas do Agrupamento de Escolas de Cuba, introduziu os manuais escolares eletrónicos no quotidiano dos alunos, melhorando a entrada no mundo digital e possibilitando novas formas de encarar o currículo e a leitura. Contudo, poderemos dizer que houve uma efetiva mudança do paradigma de leitura e estes “nativos digitais” transformaram-se em “leitores digitais”? Partindo desta questão orientadora, com o presente artigo pretendemos analisar a proficiência digital e as práticas de leitura online, declaradas pelos alunos no final do segundo ano do projeto-piloto. Os dados obtidos levam-nos a concluir que estes jovens estão preparados para utilizar as ferramentas digitais, facilitadoras do acesso e utilização dos manuais digitais, ebooks e outros espaços de leitura. Porém, é importante realçar que essas competências digitais não levaram a uma mudança radical nos seus hábitos e preferências sobre o suporte da leitura.

Palavras-chave: Projeto ManEEle, Tablets, Dispositivos móveis, ebooks, Manuais digitais, Leitura digital.

93 – Desdobramentos da olimpíada de programação de computadores no desenvolvimento do raciocínio lógico matemático [Ariane Mileidi Pazinato, Adriano Canabarro Teixeira]

Resumo: Na escola é urgente e desafiadora a ressignificação e a apropriação qualificada das tecnologias, especialmente a partir do reconhecimento de que estas se fazem presentes constantemente na vida humana, e sua utilização pode ser fator determinante para o desenvolvimento dos indivíduos. Nesta direção, o presente estudo objetiva verificar os desdobramentos das Olimpíadas de Programação de Computadores para Estudantes do Ensino Fundamental no desenvolvimento do raciocínio lógico matemático. A referida Olimpíada foi promovida através do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inclusão Digital (GEPID), da Universidade de Passo Fundo, analisada em duas edições (2013 e 2014), e consta, basicamente, de desafios a serem vencidos pelos estudantes do 6º ao 9º ano, de escolas públicas, com a utilização do software de programação Scratch. Metodologicamente caracteriza-se, em razão do objetivo geral, como qualitativa, amparando-se nos métodos da pesquisa participante e grupo focal – constituído por uma das equipes participantes, formada por alunos e professores, considerados sujeitos da pesquisa. Os instrumentos de coleta de dados constituíram-se em questionários e entrevista apresentados aos mesmos, para verificação de eventuais manifestações de ampliação nas capacidades matemáticas, da mesma forma, observações constantes e exploratórias dos momentos da Olimpíada. A análise dos dados obtidos deu-se através de comparação com o referencial teórico abordados, especialmente, a base teórica do construtivismo de Papert (1994; 1997; 2007) e Mortari (2001) e a caracterização de aprendizagem de Pozo (2002). Assim, obteve-se como principais resultados que as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), especialmente os softwares de programação, podem proporcionar novas formas de aprendizagem, modificando as relações entre professores e alunos, ou entre alunos e alunos e entre alunos e o conhecimento – dentre este, o matemático.

Palavras-chave: Aprendizagem, raciocínio lógico matemático, tecnologias na educação, programação, Scratch.

176 – Avaliação em um curso técnico em Informática: uma abordagem interdisciplinar e contextualizada com a prática profissional [Luiz Fernando Delboni Lomba, Olavo José Luiz Junior]

Resumo: A fragmentação de saberes observada na educação também é sentida no ensino técnico profissional, fazendo com que a maior parte dos alunos não seja capaz de integrar os conteúdos dos diferentes componentes curriculares. Além disso, é fundamental para a educação básica de nível médio integrada ao ensino técnico, conhecer as características do mundo do trabalho. Destarte, o objetivo das atividades relatadas neste trabalho foi ampliar o escopo de aplicação prática de diferentes disciplinas técnicas componentes do currículo do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Atividades avaliativas práticas foram propostas, onde as competências de diferentes disciplinas pudessem ser analisadas em conjunto, e realizadas sob a ótica da atuação real em um ambiente profissional. Nos resultados são apresentadas as percepções dos professores quanto ao processo de avaliação, em que o aluno atua como agente, e quanto à operacionalização de atividades desta natureza. Por fim, conclui-se que este tipo de abordagem infere mais significado aos aprendizes sobre os conteúdos, superando a divisão do trabalho entre as ações de executar e de pensar.

Palavras-chave: Avaliação, Educação Profissional, Interdisciplinariedade.

274 – Formar o pedagogo para aprender a ensinar matemática com dispositivos digitais [Mercedes Carvalho Santos]

Resumo: Este artigo é um recorte do projeto Tablets como recurso didático na formação inicial dos licenciandos em Matemática e Pedagogia, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico no período 2013-2015. Selecionou-se uma tarefa desenvolvida com as alunas do 7º período do curso de Pedagogia na disciplina Saberes e Metodologia do Ensino da Matemática II, que consistiu na elaboração de dois planos de aula, contemplando, em um deles, o tablet como recurso didático e, no outro, um jogo ou material concreto para trabalhar o conteúdo multiplicação, a fim de observar quais diferenças/singularidades explicitadas nos planos elaborados pelas alunas. A classe foi organizada em grupos e cada aluna recebeu um tablet e o grupo escolheu o jogo. A análise dos planos de aula indicou que, para essas alunas, usar o tablet exige que a escola disponha de infraestrutura adequada e, principalmente, que favorece o desenvolvimento de habilidades matemáticas. Já os jogos são mais fáceis de manipular e permitem fixar os conteúdos estudados, o que aponta a reprodução da ideia de aprendizagem da multiplicação (a tabuada, por exemplo) por meio de jogos.

Palavras-chave: tablet, tecnologia, touchscreen, plano de aula, multiplicação.

Sala 4 (artigos curtos):

16 – A produção do conhecimento científico no ensino de Ciências pelos discentes de uma escola estadual através do vídeo digital [Sebastião Vieira, Marcelo Sabbatini]

Resumo: Essa pesquisa foi realizada com alunos da Escola Municipal São Marcos situada na cidade de Igarassu-PE. Este trabalho teve como proposito trazer para a escola o debate sobre a produção de vídeos digitais e a contextualização em sala de aula .E ao mesmo tendo inserir o uso das tecnologias digitais nesse contexto, como mais uma ferramenta pedagógica para auxiliar o professor no seu processo pedagógico diário com os discentes. Na escola foi proposto um concurso de vídeos digitais com os alunos do 4º ano do ensino fundamental anos iniciais , visando trabalhar o ensino de ciências de forma interdisciplinar e para isso devido ao aumento da proliferação do mosquito Aedes aegypti e da incidência das doenças por ele transmitidas, foi idealizado um concurso de vídeos digitais denominado “as tecnologias digitais a serviço do combate à transmissão da dengue, do zika vírus e chikungunya. Com o propósito conscientizar a população acerca das medidas a ser utilizada no combate contra o mosquito Aedes aegypti. O concurso de vídeos teve como objetivo fazer com que os discentes produzissem vídeos digitais em cima do tema. Envolvendo os mesmos a fim de promover uma reflexão sobre a temática abordada. Proporcionando o desenvolvimento cultural e artístico dos participantes realizando integração com a comunidade por meio de uma ação de extensão. Proporcionando o desenvolvimento cultural e artístico dos participantes, realizando integração com a comunidade por meio de uma ação de extensão. Nesta pesquisa pode-se verificar que a produção do vídeo digital proporcionou os alunos produzir e participar de um vídeo digital ajudando a entender o assunto abordado e estudado para a produção, além de poder se trabalhado a integração em equipe. E que a experiências vivenciada na produção, deixou um significado em seu aprendizado. Pode-se concluir que os alunos que realizaram a produção do vídeo digital obtiveram melhores resultados no produto final que foi o vídeo digital e consequentemente na sua construção de saberes diante do conteúdo estudado.

Palavras-chave: vídeo digital, conhecimento contextualizado, Ensino de ciências

219 – Desafios na integração das tecnologias educativas no Ensino Superior. um relato de experiência [Ângelo Jesus, Armando Silva, Paula Peres, Lino Oliveira]

Resumo: O processo de introdução de práticas de e/b-learning nas instituições de ensino e formação nem sempre é claramente formalizado e assumido pela instituição desde o início do processo Frequentemente, as primeiras práticas de e/b-learning surgem como manifestações voluntárias de docentes que têm algum tipo de afinidade ou formação prévia com as tecnologias educativas. O desenvolvimento efectivo de uma política de formação em modalidade de e-e/b-learning, por parte de uma qualquer instituição, implica dar lugar a práticas formalizadas que sejam assumidas como “opção estratégica” da instituição, de modo a serem incorporados na prática pedagógica dos seus profissionais de uma forma sistemática e sustentada. Este trabalho pretende dar a conhecer os desafios da integração das tecnologias educativas no ensino superior, mostrando de que forma uma gestão centralizada e a formação dos docentes pode contribuir para uma integração eficaz de práticas de e/b learning.

Palavras-chave: e-learning, b-learning, ensino superior; educação, formação.

115 – Mobile Learning como ferramenta metodológica de ensino: uma atividade interdisciplinar explorando o wireless street games [Julio Cesar Teixeira de Freitas, Tamara Souza Campos]

Resumo: O crescimento da utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação e das tecnologias móveis na educação permite o desenvolvimento de metodologias de ensino mais dinâmicas e conectadas ao ambiente externo da escola. Com o presente trabalho pretendemos utilizar as características do mobile learning dentro de um conceito de wireless street games para desenvolver uma gincana de aprendizagem entre os alunos, possibilitando uma aprendizagem mais lúdica e integrada com o meio social e urbano que os circunda. Realizamos uma revisão da literatura sobre mobile learning, mobilidade e wireless street games, apresentamos a descrição da atividade a apresentamos resultados preliminares.

Palavras-chave: gincana, metodologias educativas, mobile learning, tecnologias de informação e comunicação, wireless street game

131 – LIMA Digital: um projeto educativo de literacia informacional e mediática [Simão Elias Lomba]

Resumo: Nunca existiram tantos media e tanta informação como agora, no entanto isso não significa que as pessoas estejam melhor informadas e que tenham mais conhecimento. A diversidade de meios de comunicação e a enorme quantidade de informação disponível e de fácil acesso pode ser uma mais valia mas também pode significar a confusão entre o fiável e o enviesado, o relevante e o irrelevante, o certo e o errado. A literacia informacional e mediática é indispensável para uma participação plena na sociedade da informação e do conhecimento. Devido à sua relevância e complexidade, o desenvolvimento da literacia informacional e mediática deve acompanhar todo o processo educativo. O estudo que aqui apresentamos é uma tentativa para criar um programa educativo de literacia informacional e mediática. Planeámos uma intervenção de âmbito curricular com professores e estudantes em algumas escolas do ensino Básico e Secundário. A intervenção começa com ações de formação para professores sobre literacia informacional e mediática centrada no Guided Inquiry. Estes professores irão aplicar, na sua escola com os alunos, o que aprenderam na formação. Este trabalho será desenvolvido de forma colaborativa, especialmente entre os professores de ciências e o professor bibliotecário. Ao longo do processo de formação e intervenção será dada voz aos professores e aos estudantes de modo a que o programa educativo seja uma co-construção que conta com a sua participação. A investigação desenvolve-se em cinco fases. Começámos com a conceção da primeira formação e intervenção que foi testada na fase seguinte. Na terceira fase houve lugar à reformulação da formação e intervenção. A quarta fase será dedicada à validação de instrumentos de recolha de dados que terá lugar durante uma nova formação e intervenção. A última fase será um estudo quase experimental.

Palavras-chave: literacia informacional e mediática, formação de professores, tecnologias digitais.

184 – Percepções de alunos do Ensino Médio sobre o ensino de programação e sua importância para o século XXI [Roni Costa Ferreira, Clarice Senra, Marco Braga]

Resumo: O ensino de Programação de Computadores tem se intensificado por todo o mundo e se tornado um fenômeno social, que ainda carece de estudos na área educacional. Este trabalho é o resultado de uma pesquisa feita em escolas do Estado do Rio de Janeiro (Brasil) que procura apresentar a perspectiva de alunos do Ensino Médio sobre a importância da Programação para o seu futuro. Os resultados demonstram uma preocupação demasiada com a empregabilidade, exaltado pelo atual sistema globalizado e mercantilista. O aspecto potencializador do raciocínio lógico-formal e a concentração foram também percebidos pelos estudantes como vantagem deste tipo de ensino. O estudo também demonstra que ainda não há uma compreensão mais complexa da tecnologia e suas relações sociais, prevalecendo o conceito pragmático da aprendizagem tecnológica.

Palavras-chave: Ensino de Programação, Ensino Tecnológico, Ensino Médio.

Tema C: Ambientes virtuais de aprendizagem e habitats digitais

Sala 6 (artigos longos):

113 – Desenvolver competências que melhorem a empregabilidade [Isabel Pereira, Rita Cadima, Hugo Menino, Inês Araújo]

Resumo: Às instituições de ensino superior é solicitado a preparação de futuros profissionais nas diferentes áreas. Grande parte da preparação é focada nas competências científicas e técnicas, no entanto são cada vez mais valorizadas as competências transversais ou soft skills pelos recrutadores e respetivas empresas. Várias instituições de ensino superior nacionais têm recorrido a diferentes estratégias com o intuito de colmatar as necessidades identificadas. Os estágios são a estratégia mais frequente, outras opções passam pela introdução de unidades curriculares acreditadas nos cursos, a partilha de experiências profissionais de ex-alunos, a disponibilização de formações específicas sobre temáticas de empregabilidade de forma optativa, a realização de feiras de emprego ou workshops específicos. A nível internacional surgem projetos de e-mentorado, criação de serious games para desenvolver competências específicas ou interdisciplinaridade envolvendo alunos de cursos diferentes, simulando situações profissionais. No entanto, é necessário procurar soluções que possibilitem a alunos, ex-alunos ou profissionais desenvolver competências que necessitem à medida que avançam ao longo do seu percurso profissional. Neste artigo serão apresentados os resultados alcançados através de um questionário, que obteve 204 respostas, onde foi possível identificar as preferências e necessidades sentidas pelos destinatários portugueses abrangidos pelo projeto CommonS. É com base nestas respostas que se pretende dinamizar pequenas comunidades de prática, recorrendo à catalogação de Recursos Educacionais Abertos, a sua organização em percursos de aprendizagem e programas de e-mentorado.

Palavras-chave: Comunidades de Prática, Empregabilidade, Soft Skills, Recursos Educacionais Abertos.

208 – Ensino de enfermagem em ambientes virtuais de aprendizagem com metodologia ABP [Vasco Manuel Salvador Lopes, Vanessa Juvino de Sousa]

Resumo: Este artigo relata a experiência da Faculdade ASCES (PE – Brasil) na implementação de uma unidade temática (UT) semipresencial, do curso de graduação em enfermagem, utilizando ambientes virtuais de aprendizagem e desenhado num modelo de tutoria que aplica a metodologia ABP – Aprendizagem Baseada em Problemas. Nesta UT, o estudante é incentivado a construir o seu conhecimento, tornando o processo de ensino-aprendizagem centrado no discente. Neste documento detalhamos o modelo pedagógico, o planejamento da coordenação de curso e da instituição de ensino, bem como uma avaliação de resultados.

Palavras-chave: Aprendizagem baseada em projetos, ambientes virtuais de aprendizagem,ensino hibrido, autonomia.

60 – Aprendizagem colaborativa online no Edmodo [Vitor Silva, Clara Coutinho]

Resumo: Este artigo apresenta um estudo de caso efetuado com alunos do 2.º ciclo do Ensino Básico, analisando as atividades colaborativas realizadas numa comunidade Do-It-Yourself criada no Edmodo. A técnica de desenvolvimento do estudo posicionou-se no paradigma interpretativo e qualitativo recorrendo à análise de conteúdo das discussões e dos artefactos criados. Os resultados mostram o nível de colaboração do grupo e a influência de algumas ferramentas e métodos de trabalho, tornando evidente a necessidade de realização de outros estudos sobre este tipo de comunidades nestas faixas etárias, nomeadamente acerca da influência do e-moderador.

Palavras-chave: Do-It-Yourself, Aprendizagem Colaborativa Online, Edmodo, Método de resolução de problemas.

103 – Uma sequência de ensino investigativa sobre Astronomia em salas virtuais no Moodle [Neila Andrade Tostes López dos Santos, Shirley Takeco Gobara]

Resumo: Este artigo apresenta uma das etapas da pesquisa-formação em que buscamos verificar as possibilidades e os limites de uma proposta de formação continuada, na qual utilizamos os pressupostos do ensino investigativo para o desenvolvimento de conteúdos de Ciências associado ao uso de ambientes virtuais. O trabalho ocorreu entre os meses de fevereiro a novembro de 2015 com professores de Ciências da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande (REME), no estado do Mato Grosso do Sul. Adotamos uma metodologia de abordagem qualitativa, baseada nos pressupostos da pesquisa-formação, que propiciou a realização de atividades de formação reflexiva sobre e na prática pedagógica dos professores. Ao longo da pesquisa, os professores exploraram esse ambiente a fim de criar uma sala virtual e elaboraram uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI), segundo uma abordagem construtivista, a qual foi aplicada em suas respectivas turmas do Ensino Fundamental (6º ao 9º anos) da REME. Este trabalho é um recorte dessa pesquisa-formação e teve como objetivo apresentar uma análise das etapas de planejamento e elaboração de uma sequência didática com tema sobre Astronomia, proposta por uma dos professores participantes. Os resultados sugerem que a formação continuada contribuiu para dar mais autonomia ao educador ao criar uma sala virtual associada à proposta de elaboração, planejamento e aplicação da SEI no contexto escolar. A associação da sala virtual a SEI favoreceu também a mudança na prática pedagógica desse professor e introduziu inovações em suas aulas.

Palavras-chave: Formação continuada, Sequência de ensino investigativa, Moodle, Ensino de Ciências.

Tema D: Competências e desenvolvimento profissional

Sala 7 (artigos longos):

138 – Formação inicial de professores para uso das tecnologias: a apropriação do conhecimento tecnológico [Juliane Colling, Adriana Richit Luana Angélica, Alberti Zanatta]

Resumo: Interagimos diariamente com diversos recursos tecnológicos em diversos ambientes e situações, e o meio escolar não foge à esta regra. Para tanto, a fim de utilizar estes recursos de forma a modificar as práticas educativas, é de grande importância que os professores tenham conhecimento crítico e reflexivo para articulação dos recursos tecnológicos às finalidades pedagógicas de ensino de conteúdos específicos. Nessa perspectiva, este trabalho tem por objetivo evidenciar de que forma as tecnologias se articulam às atividades pedagógicas desenvolvidas em disciplinas de um curso de licenciatura, tomando por base de análise os planos de ensino de professores do curso de pedagogia da Universidade Federal da Fronteira Sul. A partir da análise realizada percebe-se que as tecnologias são utilizadas, muitas vezes, apenas como ferramenta, ao mesmo tempo em que surgem algumas possibilidades de articulação de conhecimentos por meio de atividades interativas que estimulam a reflexão, debate e planejamento de práticas pedagógicas utilizando-se desses recursos.

Palavras-chave: formação de professores, tecnologias digitais, TPACK.

169 – Ser professor na era digital na concepção de educadores e professores do 1.º CEB [Lilian Moreira, Zélia Anastácio, Altina Ramos]

Resumo: Atualmente o que é exigido aos profissionais de educação é muito diferente do que era exigido há quinze ou vinte anos atrás. Sendo assim, o nosso estudo teve como objetivo conhecer a perceção de educadores de infância e professores de primeiro ciclo do ensino básico relativamente ao que é ser professor na era digital. Este foi um estudo transversal, para o qual construímos e validámos um questionário específico, com questões fechadas e abertas. O instrumento foi disponibilizado e preenchido online através do Google Forms. A amostra foi de conveniência, tendo sido constituída por 83 indivíduos (77 mulheres, 6 homens) com idades compreendidas entre os 25 e os 60 anos, que lecionam na Educação de Infância e no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Os resultados evidenciam que os professores e educadores acreditam que ser professor na era digital é utilizar as tecnologias em sala de aula, ou seja, a tecnologia é apenas é vista como mais um instrumento para facilitar o modo de ensinar, de motivar os alunos para a aprendizagem. Também concordam que ser professor na era digital é ter acesso a mais informação a qualquer hora e em qualquer lugar. Parece, pois, que os professores que responderam a este questionário, precisam de formação para perceberem que os aspetos metodológicos, didáticos e pedagógicos são os que mais interessam no uso educativo das tecnologias

Palavras-chave: Professor, era digital, tecnologia educativa.

73 – As percepções do professor de matemática quanto ao uso da web 2.0: mudanças a partir de uma formação continuada com enfoque colaborativo [Claudio Zarate Sanavria, Maria Raquel Miotto Morelatti]

Resumo: Este artigo apresenta parte dos resultados finais de uma pesquisa de doutorado que buscou identificar como uma formação continuada com enfoque colaborativo poderia contribuir para que professores de Matemática conhecessem e fizessem uso reflexivo dos recursos da Web 2.0 na prática pedagógica. Para isso, desenvolvemos – com um grupo de professores de Matemática – um processo formativo firmado na colaboração e cujas etapas consistiram em: momentos de estudos conceituais, definição/escolha; exploração e aprendizagem operacional das ferramentas da Web 2.0, com análise de possibilidades de uso pedagógico para o trabalho com conceitos matemáticos; elaboração e vivência de atividades com as ferramentas; e, principalmente, socialização das experiências vividas. Neste artigo serão discutidas as percepções dos professores quanto ao uso da Web 2.0 no ensino e aprendizagem de Matemática e foram usados como instrumentos o questionário, a entrevista e a observação. Os resultados apontam que os professores mudaram de perspectiva, com o aluno assumindo mais a produção das atividades e conteúdos e os aspectos interativos das ferramentas sendo mais considerados.

Palavras-chave: Formação de professores de matemática, Grupos colaborativos, Web 2.0.

140 – TDICs em sala de aula de línguas estrangeiras: o desafio da apropriação por professores em formação inicial [Juliana Cristina Faggion Bergmann, Andréa Cesco]

Resumo: Discutir o desafio da apropriação das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação por professores de línguas estrangeiras em formação inicial participantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência de uma Universidade Federal do Brasil é o principal objetivo desse trabalho. Isso é necessário porque, mesmo considerando a atual geração de alunos em formação inicial como sendo de nativos digitais, o uso das tecnologias digitais acaba acontecendo – de maneira diária e constante – apenas fora do ambiente escolar formal. Percebe-se que não há uma aplicação dos conhecimentos tecnológicos adquiridos pelos indivíduos em sua vida cotidiana para o ambiente de sala de aula, ou seja, esses conhecimentos não são automaticamente transferidos e aplicados quando esses mesmos indivíduos estão na posição de professores. Compreender essa dificuldade na apropriação da tecnologia em ambiente educacional é ainda um grande desafio, já que a ideia da importância das tecnologias digitais em ambiente escolar é largamente aceita no discurso de todos os agentes educacionais, mas não colocada efetivamente em prática, afinal, não basta a existência e acesso à tecnologia digital. É preciso que os conhecimentos sejam compreendidos e aplicados na escola através de práticas pedagógicas significativas, em que o uso da tecnologia vá além da sua simples utilização instrumental. Assim, nesse trabalho nos debruçamos sobre o processo de elaboração de práticas pedagógicas com o uso de tecnologias digitais no ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras, tendo como corpus a análise das iniciativas dos futuros professores em formação inicial, bolsistas do programa, na elaboração de atividades de intervenção nas turmas cujas atividades eles acompanham durante todo o ano. Fazem parte dessas atividades a elaboração de um projeto de intervenção, composto de um plano de atividades, a discussão crítica sobre ele, assim como sua aplicação e posterior reflexão.

Palavras-chave: tecnologia, PIBID, Práticas Pedagógicas; Ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras; escola pública

236 – Tecnologias na formação de professores dos anos iniciais [Adriana Richit, Andriceli Richit, Mauri Luís Tomkelski]

Resumo: O artigo expõe algumas perspectivas para a formação de professores dos anos iniciais do ensino fundamental, formação essa voltada à apropriação das tecnologias digitais, tomando por cenário algumas experiências formativas desenvolvidas com estudantes do Curso de Pedagogia da Universidade Federal da Fronteira Sul, da cidade de Erechim, Rio Grande do Sul, Brasil. A análise realizada, de natureza qualitativa, sinaliza que embora a tradição consolidada nos cursos de pedagogia no que se refere a incorporação das tecnologias nas práticas pedagógicas de sala de aula, a geração de futuros profissionais que estão em processo de formação na universidade acredita e investe nas possibilidades de mudanças na prática a partir do uso desses recursos. Conforme perspectivas das estudantes envolvidas nas atividades, as tecnologias digitais possibilitam diferentes modos de promover os processos de desenvolvimento da leitura e escrita, a produção literária, bem como de conceitos e noções em matemática. De maneira geral evidenciam a possibilidade de mudanças na dimensão pedagógica das práticas de sala de aula, que abarcam os modos de promover o ensino, as especificidades da aprendizagem de cada criança, as relações entre as crianças, a autoestima e confiança, bem como a cultura de sala de aula instituída na escola. Destacam as possibilidades de favorecer a motivação das crianças para o processo de aprender. Por fim sinalizam que ainda há muitos desafios a serem superados no âmbito da cultura escolar para que as tecnologias digitais possam efetivamente impregnar-se à prática docente.

Palavras-chave: Formação inicial docente, tecnologias digitais, prática pedagógica.

Sala 8 (artigos curtos):

124 – A formação do professor na era digital: Experiência do curso de metodologias ativas na prática docente [Silvane Guimarães Silva Gomes, Estela da Silva Leonardo, Leiliane Souza Bhering, João Batista Mota]

Resumo: Muito se tem falado sobre propostas e metodologias de ensino que vêm contribuindo para o processo educacional, seja para a formação continuada de professores ou na busca de novas metodologias frente ao ensino tradicional. Se o perfil do aluno se alterou, a prática do professor não pode ser a mesma de outros tempos. Para tanto, a busca por metodologias diferenciadas tem exigido do professor o desenvolvimento de novas competências, a fim de atender interesses e ritmos de aprendizagem dos alunos, seja do ensino básico ou superior. Nessa perspectiva, este artigo tem como proposta apresentar a experiência da Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (Cead) da Universidade Federal de Viçosa no oferecimento de cursos de capacitação para docentes, no ano de 2015, com o objetivo de focar no curso de Metodologias Ativas. Os cursos foram oferecidos para professores universitários e do ensino básico e ainda para estudantes de licenciaturas da mesma universidade, a fim de consolidar a necessidade de formação dos atuais e futuros docentes no que concerne a metodologias de ensino inovadoras que unam a utilização de recursos tecnológicos com estratégias didáticas diversas.

Palavras-chave: metodologias ativas, prática docente, tecnologias.

155 – Em busca de um modelo de formação de professores de Informática [Paula Abrantes]

Resumo: Este artigo apresenta a metodologia e os primeiros pressupostos teóricos de um estudo que tem como objetivo desenvolver um modelo para a formação inicial de professores de informática. Nesta fase estamos a trabalhar na conceptualização de um sistema de categorias que irá constituir o modelo formação inicial de professores de informática, com base na literatura e que será posteriormente validado empiricamente. Como um primeiro passo para atingir esse objetivo, foi feita a tradução de um sistema de categorias que foi criado e validado através de uma investigação similar no contexto da formação de professores de informática na Alemanha. Atualmente e com base neste sistema de categorias estamos a fazer a codificação de todos os currículos de formação de professores existentes em Portugal e a preparar um conjunto de entrevistas para serem realizadas a especialistas. Numa segunda fase prevê-se a validação quantitativa do modelo criado na fase anterior. Na sequência do exposto, optou-se por uma abordagem de natureza mista, orientando a investigação pelos pressupostos de um design exploratório sequencial. Tendo em conta que o estudo começa com uma abordagem qualitativa, assumimos que nesta primeira fase se privilegie uma metodologia de investigação associada a um paradigma construtivista; na segunda fase do estudo, os pressupostos subjacentes são incorporados dentro do paradigma pós-positivista.

Palavras-chave: ensino de informática, formação inicial, conhecimento pedagógico do conteúdo

177 – Língua Inglesa no Ensino Superior: Aprendizagem e avaliação com recurso à tecnologia [Laura Chagas, Neuza Pedro]

Resumo: O propósito desta comunicação consiste em proceder a um enquadramento teórico das iniciativas de integração da tecnologia na aprendizagem e avaliação da língua inglesa no ensino superior. A presente comunicação enquadra-se num projeto de doutoramento a ser desenvolvido atualmente, cuja relevância decorre da inexistência de estudos que incidam sobre esta temática no contexto nacional, apesar das diretrizes europeias que enfatizam a importância da competência digital e da proficiência em línguas estrangeiras para o cidadão atual. A abordagem metodológica do trabalho seguirá várias fases de desenvolvimento. Inicialmente, através de um estudo de matriz quantitativa, materializado na aplicação de um questionário a docentes de universidades e institutos politécnicos portugueses, procura-se identificar o uso que os docentes fazem das várias ferramentas tecnológicas, de modo a promover o desenvolvimento das quatro competências de comunicação em Inglês Língua Estrangeira e suportar atividades de avaliação. Posteriormente, os estudantes serão inquiridos acerca da sua perceção relativa à integração da tecnologia. Numa terceira fase, um grupo específico de docentes será confrontado com a visão dos estudantes em processo de entrevista. A análise de dados será feita à luz da distinção entre o regime presencial e o regime a distância. Pretende-se, com este trabalho, caracterizar o perfil do docente de língua inglesa no ensino superior, no que respeita ao uso que faz da tecnologia e eventuais necessidades formativas; identificar as ferramentas e metodologias que mais concorrem para a aprendizagem e avaliação de uma língua estrangeira e, em última análise, sinalizar um conjunto de boas práticas de lecionação e avaliação neste domínio.

Palavras-chave: tecnologias da informação; inglês língua estrangeira; avaliação; ensino superior; corpo docente; estudantes do ensino superior.

150 – O 1º MOOC da Universidade do Porto: desafios e estratégias [Isabel Martins, Nuno Regadas, Margarida Amaral]

Resumo: Este artigo apresenta-se como um caso de estudo que pretende descrever a experiência e os recursos envolvidos da unidade de tecnologias educativas da UPdigital, no apoio prestado à conceção, criação de conteúdos multimédia, formação de professores e implementação do primeiro MOOC da Universidade do Porto. Depois de descrever esta experiência, vamo-nos concentrar sobre os tópicos mais relevantes, tais como: a forma como a universidade se posiciona face aos MOOC, a experiência acumulada e o papel da unidade de tecnologias educativas como facilitadora e produtora do primeiro MOOC da Universidade do Porto. O que aprendemos com este primeiro MOOC desafia-nos a melhorar algumas estratégias de produção de conteúdos e a reconhecer a importância acrescida de ter profissionais da área do audiovisual durante a gravação de vídeos educativos, para que a qualidade destes produtos continue a ser um fator determinante nos nossos futuros MOOCs.

Palavras-chave: MOOC, multimédia, vídeo, educação.

Tema E: E-learning e aplicações educativas emergentes

Sala 9 (artigos longos):

216 – Usabilidade técnica e usabilidade pedagógica em Mobile Learning: um estudo de revisão sistemática [Viviane Silva, Mª João Gomes]

Resumo: A usabilidade técnica e a usabilidade pedagógica têm promovido notável elevação da qualidade no âmbito da aprendizagem móvel. A primeira oferece as condições tecnológicas proporcionando o seu uso intuitivo e a segunda encontra ambiente favorável para que a abordagem construtivista da aprendizagem esteja presente no m-learning. O objetivo deste artigo é apresentar uma revisão sistemática da literatura (RSL) da produção científica no período de 2010 até 2015, sob a temática avaliação de usabilidade técnica e pedagógica em mobile learning. Este estudo procura responder às seguintes questões de partida: Como têm sido aplicadas a usabilidade técnica e pedagógica no mobile learning? Utilizou-se como instrumento de investigação a metodologia de RSL nas bases de dados: Web of Science, Scopus e ERIC, com a aplicação de um protocolo de pesquisa que permite a replicabilidade. O protocolo de pesquisa baseou-se em uma adaptação de métodos de RSL para aplicação nas áreas de ciências sociais (Tranfield, Denyer & Smart, 2002). Como resultados são apresentados os contributos específicos dos artigos selecionados. Destaca-se a constatação da existência de variáveis culturais e sociais relevantes associadas à problemática da usabilidade, o número reduzido de publicações identificadas e a diversidade nacional em termos de origem dos estudos.

Palavras-chave: Usabilidade Pedagógica, Usabilidade Técnica, Aprendizagem Móvel, Dispositivos Móveis, Educação a Distância.

203 – A adoção e uso continuado do Moodle numa instituição de Ensino Superior [Sofia Batista, Neuza Pedro]

Resumo: Este estudo enquadra-se no domínio de especialidade de TIC na educação e tem como propósito identificar fatores determinantes no processo de adoção e uso continuado de learning management systems (LMS) por professores de uma instituição de ensino superior em Portugal. O quadro teórico do estudo foi construído com base na integração da Teoria da Difusão da Inovação e do Modelo de Aceitação de Tecnologia. Este quadro serviu de base à análise das atitudes dos docentes utilizadores e potenciais utilizadores LMS. Assumiu-se uma abordagem metodológica quantitativa tendo os dados sido recolhidos em 2012/13 junto de 111 professores. Os resultados permitem identificar diferenças nas perceções dos diferentes grupos, considerando as múltiplas dimensões em análise, o que sugere benefícios no desenvolvimento de diferentes estratégias de promoção do uso de LMS de acordo com os diferentes perfis de utilizador.

Palavras-chave: adoção, e-learning, ensino superior, learning management systems.

35 – Em torno das teorias e modelos de ensino ou de Instructional Design [Rui Guimarães Lima]

Resumo: Internacionalmente reconhecido e em clara afirmação no panorama nacional, o design instrucional é já uma realidade em algumas instituições de educação e ensino, bem como em empresas de formação em Portugal. Efetivamente, os processos de ensino-aprendizagem em ambientes de educação e formação online não poderão dissociar-se das diferentes formas de planificação didática por ele propostas. Por consequência, no presente artigo abordaremos algumas das mais significativas teorias e modelos do design de instrução procurando fazer dele um elemento de referência para futuros estudos e pesquisas nesta área particularmente recorrente da educação a distância.

Palavras-chave: Ensino, Desenho de Instrução, Teorias, Modelos.

175 – Fatores críticos de sucesso sobre a dimensão organizacional do e-learning no ensino superior [João Monteiro, Neuza Pedro]

Resumo: O presente artigo está inserido num projeto de investigação onde se pretendeu identificar e sistematizar linhas de orientação para o desenvolvimento de iniciativas de e-Learning no ensino superior, com incidência na dimensão organizacional. A presente comunicação foca-se nos resultados decorrentes do processo de identificação de fatores críticos de sucesso sobre a dimensão organizacional do e-Learning. Partindo de um processo de revisão sistemática de 11 modelos de e-Learning benchmarking que integram a dimensão organizacional foi realizada um mapeamento e análise de conteúdo dos mesmos o que conduziu à identificação de 32 fatores críticos de sucesso em iniciativas de e-Learning, descritores da dimensão organizacional. Os resultados obtidos sugerem a necessidade de dedicar maior atenção à componente de planeamento estratégico, bem como às políticas e processos de incorporação e promoção do potencial do e-Learning no ensino superior.

Palavras-chave: e-Learning, ensino superior, e-benchmarking, fatores críticos de sucesso.

99 – Afetividade no contexto acadêmico: sentimentos experimentados por mestrandos de um curso oferecido na modalidade b-learning [Ana Lúcia Pereira, Bento Duarte da Silva, Laurinda Ramalho de Almeida]

Resumo: Este texto apresenta os resultados de uma investigação que teve como objetivo verificar a intensidade e a frequência com que mestrandos do curso de Ciências da Educação: Tecnologia Educativa, oferecido pela Universidade do Minho na modalidade blended-learning, experimentam sentimentos de nuances positivas e negativas. Participaram da investigação 26 estudantes de um total de 49 convidados. O instrumento de coleta de dados utilizado foi um inquérito de autopreenchimento online, cujo link foi enviado aos estudantes via correio eletrônico. No inquérito os estudantes foram apresentados a uma lista de 40 sentimentos de nuances positivas e negativas, sendo convidados a indicar a intensidade e a frequência com que experimentavam cada um deles, a partir de uma escala crescente de 1 a 10. Para a análise dos dados foram utilizadas técnicas de estatística descritiva, e para algumas das variáveis independentes procedeu-se o Teste de Levene para igualdade de variâncias e o Teste T-Student para igualdade de médias. Para tanto fez-se uso do Software Package Social Science (SPSS). A análise descritiva dos dados indicou que os sentimentos de nuances positivas predominam em relação aos de nuances negativas no que se refere as médias das respostas dos participantes nos fatores intensidade e frequência. O Teste de Levene para igualdade de variâncias e o Teste-T-Student para igualdade de médias, à significância de 0,05, demonstraram que os estudantes que não haviam tido experiências anteriores com a modalidade blended-learning apresentaram médias maiores e diferenças consideradas significativas para o sentimento inquietação no quesito intensidade e para os sentimentos impotência e preocupação no quesito frequência. Tais resultados sugerem a relevância de se pensar na organização de cursos de capacitação nas ferramentas e estratégias do blended-learning antes do início da primeira unidade curricular do mestrado, visando minimizar tais sentimentos desconfortáveis entre os estudantes mais inexperientes na modalidade.

Palavras-chave: afetividade na educação superior, educação a distância, blended-learning.

179 – Design de um modelo pedagógico de formação a distância para a formação contínua de magistrados: Uma abordagem híbrida [Joana Caldeira, Neuza Pedro]

Resumo: O e-learning é, hoje, considerado um reconhecido meio de difusão de educação e formação, apresentando-se como uma modalidade que pretende dar resposta aos atuais desafios do ensino-aprendizagem. Como tal, apresenta-se um estudo relativo ao design de um modelo pedagógico de formação a distância, para ações de formação em regime de blended-learning. Esta investigação centra-se em Portugal, no período de 2014 a 2016, num estabelecimento de formação, com uma população muito específica: os magistrados. Como tal, o trabalho em causa organizou-se em torno das seguintes questões de investigação: i) que necessidades e interesses estão associados à implementação de um modelo pedagógico híbrido no domínio da formação contínua de magistrados; ii) que caraterísticas deve ter um modelo pedagógico desta natureza; iii) qual o nível de adequação do modelo proposto ao contexto e ao público-alvo. Assim, este artigo centra-se na análise dos resultados inerentes às necessidades e interesses dos agentes envolvidos (docentes e chefias diretas), ao nível da implementação de um modelo pedagógico de formação a distância (blended-learning) na formação contínua de magistrados (fase 1 do plano de investigação do projeto). Neste estudo optou-se por uma metodologia de investigação associada a um paradigma pragmático, privilegiando-se uma abordagem de recolha e análise de dados de natureza mista e um design exploratório sequencial. Neste âmbito, é dada prioridade aos dados de natureza qualitativa e são estabelecidas duas fases de recolha de dados. A fase inicial consiste num processo de recolha de dados qualitativos, à qual se segue uma fase de recolha de dados quantitativos. Os resultados de ambos os métodos são analisados e integrados de forma conjunta. As técnicas de recolha de dados selecionadas são: a análise documental, a entrevista e o questionário, de forma a abranger os diferentes agentes envolvidos no processo formativo.

Palavras-chave: Educação a distância, blended-learning, formação profissional, magistrados.